domingo, 23 de janeiro de 2011

POR QUE OS NEGROS BRASILEIROS PREFEREM AS LOIRAS? Autor: CARLOS CAVALCANTI Blog de Jota Antunes

NO facebook do Luís Carlos GÁ, bom 'Dino' do Movimento Negro brasileiro, encontrei o artigo "Por que os negros brasileiros preferem as loiras?", DE AUTORIA DE CARLOS CAVALCANTI, publicado no BLOG DE Jota Antunes, que faz uma indagação, e não uma afirmação, com muitas citações e material relevante.
O artigo reúne muito do que foi dito deste interminável assunto e inacabável polêmica.
Em alguns minutos de re-postagem em meu próprio Facebook, e eu mesmo já recebia a reprovação de uma mulher negra admirável, grande amiga, e que acredito que só tenha se ligado mais ao título que ao conteúdo.
Estou repassando o artigo à lista de discriminação racial (discriminacaoracial@yahoogrupos.com.br) e ao twitter ( http://twitter.com/#!/humbertoadami), sabedor que a polêmica será grande, e que o bem articulado artigo de CLAUDIO CAVACANTI, no blog de Jota Antunes, com a "Nota do Blogueiro" que o acompanha, poderá prestar mais serviço no âmbito dessa lista. Recomendo, contudo, que não se prenda a discussão à casos pessoais, acusações ou listas de patrulhamento, como se viu recentemente, em espetáculo deplorável, que só servirá aos contrários a ação afirmativa e às cotas raciais para negros na universidade e no emprego público, que mais uma vez anunciarão a importação do ódio racial norte-americano; a separação do Brasil em brancos e negros; e a chamada "racialização" (detesto a expressão) de nossa sociedade.
O tema deve ser discutido com calma, tranquilidade e serenidade, o que nos ajudará a todos e todas.
Amplio o foco, ao mencionar as citações, que são meras interpretações, de "abraços à Escravidão e à Liberdade", quando o homem negro abraça a mulher negra e a mulher branca, respectivamente, o que não concordo.
A valer tal pensamento, estariam todos os homens negros brasileiros "doentes", psicologicamente, e grande teria de ser a operação do SUS.
Amplio a discussão, também, para gays e lésbicas, negros e negras, cujos parceiro(a)s são homens e mulheres negras e negras, e que vivenciariam tal fenômeno.
Vamos à discussão, com etiqueta e foco!
Humberto Adami
.
Publicado por: JotaAntunes | 5 dezembro 2009

Por que os negros brasileiros preferem as loiras?

3 Votes

Por Carlos Cavalcanti

Fonte:http://ideiasdemilene.blogspot.com/2009/07/negro-com-loira-conto-parte-i.html

A pergunta: o que pode ser pior do que o racismo, no Brasil?

A resposta: a discriminação da mulher acrescida ao racismo.

Por que eles preferem as loiras?

Parece que está virando regra: negro bem- sucedido tem sempre uma loira a tiracolo. Não é um problema só nosso. Muito menos de falta de esclarecimento. Basta lembrar de algumas frases do líder negro norte-americano Eldridge Cleaver, em sua autobiografia Alma no Exílio.

“…Não existe amor entre um homem negro e uma mulher negra. Eu, por exemplo, amo as mulheres brancas e odeio as negras. Está dentro de mim, tão profundo que já não tento mais arrancar.”
“Todas as vezes que eu abraço uma mulher negra, estou abraçando a escravidão, e quando envolvo em meus braços uma mulher branca, bem… estou apertando a liberdade.”

O livro foi escrito nos anos 70 e hoje, às portas do Terceiro Milênio, homens negros, no todo ou em parte, concordam com sua análise: “É, sem dúvida, uma comparação interessante, porque o branco representa realmente essa grandeza. Acho que sempre relacionei a mulher negra ao retrocesso”, confessa D.P., administrador de empresas negro, bem-sucedido, quarentão, que só aceitou falar sobre o assunto desde que fosse preservada sua identidade. Motivo? “Não consigo ter um papo-cabeça, inteligente, com a minha mulher. Nunca conversamos sobre isso, apesar de estarmos casados a 22 anos e termos dois filhos.”

D.P. até fez uma reflexão: “Se eu encontrasse uma negra na faculdade, será que eu me casaria com ela?” Ele mesmo responde: “Não. Minha esposa não tem curso superior, é baixa, gorda e tem barriga”. Mas é branca.
“…Não serei livre enquanto não puder ter uma mulher branca em minha cama…”

Esta outra frase do texto de Cleaver bate fundo em D.P. Para ele, essa é a verdade crua, pelo menos no seu caso: “Eu não queria ser do samba, da zona leste, onde nasci. Eu queria um ambiente não negro, e vi na mulher branca a porta de saída para um mundo melhor. Além disso, tinha que mostrar que poderia ter quantas mulheres brancas quisesse. Na juventude, fui rejeitado pela família de muitas namoradas”.

Ana Lúcia Valente, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, pós-doutorada em Antropologia, faz esta avaliação do problema: “Quando o homem negro tem o domínio sobre uma mulher branca ele reafirma sua masculinidade. É a reatualização da prática racista -’eu domino essa branca’”.

O negro Joel Rufino dos Santos, historiador que esteve à frente da Fundação Palmares, do Ministério da Cultura, confessa: “Toda a ânsia de ascensão do negro talvez tenha por objetivo ser o branco, e ele só o alcança – ou julga alcançar – quando enfim possui sexualmente a branca”.

“Com uma loira dessas… ele deve ser muito bom de cama” – À pergunta, feita sem rodeios, por que os homens negros preferem as loiras?, Antônio Campos, diretor do Guia do Círculo Negro, reagiu com indignação: “Como preferem?! Não tem preferência. Não importa se é preta, branca, amarela, japonesa. Se o cara é da periferia e nunca teve acesso a uma mulher clara, existe a curiosidade, o oposto atrai. Mas isso não vale para a totalidade dos homens negros.

Namorar, casar, tem a ver com a química, a paquera, o jeito, o olhar. Eu acho que o emocional não tem cor”.
Outro administrador de empresas, Cleto Peppe, dono do Dorment’s Bar, reforça a idéia: “Não é uma questão de preferência, é uma questão de coincidência”.

O psicólogo negro Sérgio Ferreira da Silva não concorda. Segundo ele, “os homens negros preferem as loiras por medo de perpetuar a raça. Quando você olha o negro, vê o sujo, o piche, o macaco. É o que ele vive quando criança na escola e traz para a vida adulta. Aí, quando ele pensa em casar, sai em busca da mulher branca como objeto de negação da própria cor”.

Cleto Peppe discorda. Para ele, negro que diz sofrer ou ter sofrido preconceito é porque se considera inferior, tem complexo. Um exemplo? Ele próprio. “Todo mundo encara normalmente o fato de eu andar com mulheres brancas”, diz com a maior naturalidade.

A antropóloga Ana Lúcia Valente, em seu livro Ser Negro no Brasil Hoje, da Editora Moderna, lembra uma vez em que, conversando com amigos num bar, viu entrar um casal, ele negro, ela loiríssima: “Imediatamente o bar foi tomado por um silêncio constrangedor. Todas as atenções voltaram-se para esse casal. Passado o primeiro momento, ouvi comentários de mesas próximas:
‘Ele deve ser rico! Senão, não conseguiria sair com uma loira dessas!’
‘Qual o interesse que uma loira pode ter por um negro? Ela deve estar numa pior…’
‘Esse cara deve ser muito bom de cama…’”.

Com 30 anos de praia, como diz, e 46 anos de idade, Antônio Campos também não tem dúvidas quanto à visibilidade negativa que a mulher branca dá ao homem negro: “Quando você está com uma branca do lado, todo mundo quer saber o que ela viu em você”.

“Ela pode ser pobre, feia e gorda. Mas é branca”
No geral, o homem negro não costuma ser seletivo na hora de escolher a mulher branca: pode ser pobre, feia, caindo aos pedaços. “Tenho um amigo que apanha da mulher. Ela faz dele gato-sapato e eu acho que ele aceita tudo só porque ela é branca. Isso é inadmissível. Tem cara que pega o kit completo – filho, dívidas, família… – só para ter uma branca do lado.

Muitos homens negros não vêem nenhuma necessidade de “dourar” a pílula para justificar sua preferência pelas mulheres loiras. O historiador Joel Rufino dos Santos, por exemplo, no livro Atrás do Muro da Noite – Dinâmica das Culturas Afro-brasileiras, da Fundação Palmares, em seu último capítulo, não teve o menor pudor de transformar todas as mulheres do mundo em coisas, em objetos de maior ou menor valor. E tudo isso para esclarecer o porquê de os negros bem-sucedidos arranjarem uma branca, e de preferência loira.

Ele escreveu: “A parte mais óbvia da explicação é que a branca é mais bonita que a negra, e quem prospera troca automaticamente de carro. Quem me conheceu dirigindo um Fusca e hoje me vê de Monza tem certeza de que já não sou um pé-rapado: o carro, como a mulher, é um signo”.

A comparação, embora machista, cruel e desumana, é um fato. “Na sociedade machista, a mulher é vista, sim, como um objeto de consumo. E objetos de consumo conferem status e poder a quem os adquire”, confirma a historiadora Maria Aparecida da Silva, do Geledés.
Na estrutura social e econômica brasileira, o homem negro está abaixo da mulher branca quando o assunto é trabalho assalariado. Então, para ele, o caminho possível de ascensão é a conquista de um “objeto” de valor do homem branco.

“São as loiras que preferem os homens negros”
Menos razão, mais emoção, o instrutor esportivo Cristiano dos Santos, 26 anos, casado há cinco meses com uma loira, também faz parte dos que acreditam que essa escolha, segundo seus padrões, tem motivos óbvios: “Elas são mais bonitas, mais sedutoras, mais cultas”.

Cristiano é carioca, mora em Dourados (MS) e comenta que conversa muito sobre o assunto com seus amigos, a maioria casada com mulheres brancas: “Nós conversamos muito sobre isso porque sentimos na pele a discriminação. Já entrei em parafuso por causa disso. Mas, hoje, não ligo mais, apesar de todo mundo dizer que eu casei com a minha esposa porque ela é branca, formada em Psicologia, e porque a família dela tem grana. Não passa pela cabeça das pessoas que foi o amor que nos uniu”.

“Aliviando” a consciência do homem negro, existe um outro fator a ser considerado quando o assunto se refere a relações mistas. E é mais uma vez Antônio Campos quem diz: “A verdade é que são as mulheres brancas que preferem os homens negros. Desde – é claro – que eles tenham algo a oferecer”.

“Este é o ponto” – confirma a antropóloga Ana Lúcia. “Eles preferem as loiras, mas a recíproca é verdadeira. Elas também preferem os negros. E isso só vem reafirmar a ambigüidade das relações raciais no Brasil. Daí casais mistos incomodarem tanto as pessoas. A loira ao lado do negro, de alguma maneira, mostra que não é racista. Ela vai para a cama com ele, tem filhos com ele. Quer dizer, põe abaixo a bandeira do racismo. Agora, se o relacionamento entre os dois não der certo, se o negro deixar a loira por qualquer outra mulher, ela pode assumir o discurso de que ‘negro, quando não faz na entrada, faz na saída’ ou, ainda, ‘bem que me avisaram…’ etc., etc.”

Na análise de Sérgio Ferreira, psicólogo, o negro fecha a porta da afetividade para a mulher negra porque para ele aceitá-la vai ter de se identificar consigo mesmo.

No entender de Sueli Carneiro, do Geledés – Instituto da Mulher Negra -, “para homens e mulheres negros engajados e comprometidos com a mudança das relações raciais e sociais no Brasil e no mundo, seus parceiros, quando brancos, não são objetos de consumo, símbolo de status nem garantia de mobilidade social: são companheiros e companheiras, seres humanos, que não simbolizam êxito, mas a possibilidade do encontro, da solidariedade, do amor entre grupos étnicos e raciais diferentes”.

O ruim nas relações mistas é que, muitas vezes, os negros não conseguem mais manter sua identidade.
Negro bem-sucedido + Mulher loira
Não é preciso puxar muito pela memória para buscar exemplos da já clássica fórmula: “negro bem- sucedido + mulher loira”.

É só correr os olhos pelos campos de futebol ou pelos palcos. O ex-ministro Pelé, para quem não se lembra, foi namorado da Xuxa.

A lista tem, entre outros, os corintianos Gilmar e Marcelinho Carioca e o mais emblemático de todos os casos: Ronaldinho, o noivo de Suzana Werner. Entre os grupos de pagode, quem não pensa em Alexandre Pires e Carla Perez?

Como lembra o psicólogo Sérgio Ferreira: “Os homens negros de sucesso não têm a questão econômica, mas têm a questão concreta da cor, ou seja, por mais que eles tenham dinheiro, não conseguem se livrar da cor negra. Ele busca na loira o seu lado branco”.

Para Sueli Carneiro, do Geledés, “qualquer homem negro no Brasil, por mais famoso que seja, ou por maior mobilidade social que tenha experimentado, não tem poder real, se “bem-sucedidos” individualmente servem apenas para legitimar o mito da democracia racial”. “O homem negro”, diz ela, “utiliza a mulher branca como emblema ou garantia de seu sucesso.”

Por :TANIA REGINA PINTO
Revista Raça

Fonte: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2004/02/274659.shtml

10 comentários:

jose disse...

Caro mestre Adami,
Como bloqueio coloco matérias. Entretanto, não são minhas opiniões.
Sou filho de um velho cidadão português carvoeiro do subúrbio de Parada de Lucas casado com uma com uma negra.
Eu sou livre desses preconceitos. Bem sei ao certo que, ainda faltam anos para que meus filhos e netos possam ver um Brasil distante das desigualdades.
Porquanto, vale uma ressalva, quando prestei concurso público para o antigo Banco do Estado da Guanabara, só fui me "tocar" de tais desigualdades quando trabalhei nas Agências Leblon, Barrada da Tijuca e Humaitá.
Era eu nos anos 70 e 80 o único NEGRO.
Como sempre a gente vai se envolvendo em política e, meus "companheiros" Do Sindicato dos Bancários nas suas preleções revolucionárias nunca tocaram na referida questão.
Uma lástima.
Hoje, meu filho estuda em uma Escola Federal administrada pelo Ministério da Defesa.
Pasmem Vossa Senhoria, em uma escola com 3200 alunos. Podem-se contar os parcos negros nas formaturas das Quartas-Feiras. Isso em plena TIJUCA-Rio de Janeiro. Quanto ao Texto: Eu Gosto de mulher. Negra, branca, amerala, azul, etc.
Entretanto, as feias que me desculpem! Rsrsrsrsrsr

Abraços...

José Antunes

Juarez Silva (Manaus) disse...

Pôxa Adami..., eu sou a favor que todos as questões que envolvam e atinjam aos afrobrasileiros sejam debatidas, mas essa questão requentada e colocada sempre da mesma forma incendiária, além de causar desgastes pessoais entre os debatedores, em nada tem ajudado na resolução de necessidades práticas e de avanço social da população negra.

Se o assunto causa tanto interesse por que não aborda-lo por outro prisma e com outras manchetes ? ; que tal usar "POR QUE AS MULHERES NEGRAS ACHAM QUE SUA 'SALVAÇÃO' VIRÁ DE UM HOMEM BRANCO (PREFERENCIALMENTE ESTRANGEIRO)E EVITAM SISTEMATICAMENTE OS HOMENS NEGROS ? "

Mas entendo que iniciar o debate a partir de afirmação falaciosa e vilanizadora de qualquer das partes negras envolvidas (homens ou mulheres) não é a melhor abordagem...

Em 2006 escrevi um artigo não científico que trata do mesmo assunto, mas até o título tem essa preocupação de não vilanizar nem vitimizar ANTECIPADAMENTE negros ou negras : Mitos & Fatos dos Relacionamentos Interraciais Brasileiros http://movimentoafro.amazonida.com/mitosefatos.htm

Eu estou com o blogueiro JOTA ANTUNES, sou negro, desimpedido e não 'prefiro' nem dispenso mulheres disponiveis(principalmente bonitas)tenham a cor ou origem que tiverem; endogamia deve ser vista como um DIREITO não como um DEVER...

É isso ai, aquele abraço !

Marcus Aleixo disse...

Em relação às palavras de Eldrige Cleaver, só posso dizer que infelizmente esse idiota sujou o nome do partido ‘Panteras Negras em Legítima Defesa’ com declarações características de negro complexado e alienado.

De onde foi que esse mané tirou essa? “...não existe amor entre um homem negro e uma mulher negra”... Se ele foi um homem problemático que não conseguiu aceitar-se como negro e, por conseguinte, desenvolver sentimentos por mulheres negras, não deveria ter generalizado e pensado que todos os negros eram como ele.

Infelizmente, esta e outras frases de sua autoria têm encontrado aceitação nos corações de negros que também tem problemas de auto-estima como ele.

Eis uma outra frase famosa do Sr. Cleaver: "...estuprar mulheres brancas é um mérito revolucionário..." Essa declaração passou à sociedade americana uma impressão de que os panteras negras não eram revolucionários, e sim marginais que faziam apologia à violência sexual.

Associar liberdade à “posse” de uma mulher branca só faz sentido no emocional de negros complexados. Mesmo se tratando apenas de liberdade social... Mas dizer que branco representa grandeza?!? ... Um povo que prosperou e prospera à custa da exploração de outros povos não tem nada de grandioso... E muito me admira que pessoas que são descendentes de quem foi escravizado, estuprado e exposto a todo de tipo de humilhação, fiquem nessa “adoração” daqueles que descendem dos responsáveis pelo sofrimento de seus ancestrais.... Não estou dizendo que devemos odiar. De forma alguma! Ódio não leva a nada. Mas ficar babando nos brancos não dá!

Quando olho para uma mulher branca, por mais bonita que seja eu vejo apenas uma mulher, como qualquer outra. Não vejo nela uma possível forma de auto-afirmação, porque sou suficientemente seguro de minha masculinidade pra não precisar afirmá-la mostrando ao mundo que posso ter a “posse” ou “domínio” de uma caucasiana.

Os negros que ficam buscando seu lado branco em loiras deveriam parar com essa palhaçada... Aceitar-se é evoluir! E ninguém é realmente feliz se não se aceita com plenitude... É verdade que namorar, casar, paquerar, tem a ver com química. Mas pra muitos negros o emocional tem cor SIM; da mesma forma que tem orientação sexual. Porém, diferentemente da orientação sexual, que já nasce com as pessoas; a baixa auto-estima (que os leva a relacionar mulher negra ao retrocesso) é uma característica imposta pela sociedade.

Mas por que não lutar contra isso? É muito fácil deixar-se dominar por complexos de inferioridade, e evitar perpetuar sua raça buscando a mulher branca como objeto de negação de sua própria cor e origem... Mas lutar contra seus próprios demônios e superar seus complexos é que deveria ser o objetivo de um ser humano de qualidade. Não essa rendição patética às imposições sociais.

Além disso, nem toda branca é mais bonita do que mulheres negras. E a troca de uma mulher negra por uma branca nem sempre representa a troca de um ‘Fusquinha’ por um carro melhor. Há mulheres negras muitíssimo mais belas do que muitas brancas, mas o valor social entre elas nunca é o mesmo... Brancas (principalmente loiras) são consideradas símbolo de status. As negras não! E lamentavelmente tem muito negrão bobo que vai nessa onda.

Penso que seja extremamente importante discutir o assunto. Porque a discussão representa uma oportunidade valiosa de tentar reverter mentalidades que vêm sendo passadas de geração em geração, e de mostrar aos negros que sua negritude pode e deve ser vivida com felicidade, ao invés de ser vista como uma maldição.

Espero que haja muito mais Fóruns onde os negros possam debater o assunto. Até porque essas discussões não têm nada a ver com racismo, e sim com a auto-estima e a preservação do povo negro.

Anônimo disse...

A ascendência de um indivíduo é constituída por todos os seus antepassados, começando por seus pais. No sentido oposto existe a descendência, ou seja, todos aqueles que descendem de um determinado casal: filhos, netos, bisnetos, etc.
É interessante perceber a progressiva e expressiva quantidade de ascendentes de uma pessoa, quando se trabalha com os seguintes princípios matemáticos: 1. São necessárias 2 pessoas para gerar uma terceira. 2. Em cada século existem em média 4 gerações (mais recentes), ou 5 gerações (mais antigas). Por exemplo: Matematicamente, em apenas DEZ séculos, qualquer pessoa viva nos dias de hoje, possui cerca de 4,4 trilhões de ascendentes.



Aqui no BRASIL discutir tais teorias são no mínimo falta de assuntos importantes tais como ?
55% das professora estaduais aqui no RJ são NEGRAS: Professoras de Escolas Públicas e Municipais.
61% de Técnicos de Enfermagem e Aux de Enfermagem também são NEGROS.
Na PM e Bombeiros Militares idém.
Alguém pode me dar uma informação de quanto recebem mensalmente dessa gama de trabalhadores?
Vou dar a resposta?

Não recebem 1000 dólares por mês.

Marcus disse...

Oh Anônimo, se esse tipo de discussão te incomoda, então simplesmente não participe. Ninguém pediu sua opinião! Discuta sobre a quantidade de negros em cada profissão ou sobre o valor do salário que é pago no Brasil em Fóruns que estejam tratando desses assuntos.

Cada um discute sobre o que quiser, e essa discussão faz muito sentido no Brasil sim, muito mais do que em outros países, porque aqui negros e negras evitam relacionar-se entre si por causa da baixa auto-estima. Não podemos simplesmente fechar os olhos para esse fato, como você sugere.

Anônimo disse...

e pq os morenos claro tbm preferem uma loira doq a morena clara?

Anônimo disse...

Sou negra e posso afirmar conforme minhas observações diárias que a maioria dos homens negros aqui no Brasil são complexados, revoltados, grossos e mal educados, tratam a mulher negra com desdém e a branca como instrumento de status. A luta do homem negro brasileiro não é contra o racismo mas sim pela igualdade de condições para ele poder concorrer com os homens brancos pelas brancas.

eciclopedia disse...

é importante saber que nesta questão o por que os negros preferem as loiras e por que isto e a quilo.. alguns se passam por negros para espor esses assuntos de uma forma distorcida por exemplo é comum nestes sites um individou dizer sou negro e odeo negros e assim por diante, que fique claro que ha muita calunia que circula nestas informações. infelizmente ainda existe um espirito naziste que aidenda apoia o apartheid social e que ninguem assume ser racista, o exemplo claro desse fato foi manifesto pelo presidente da comissão dos Direitos humanos.. o Marcos Feliciano que fez declarações Nazista a respeito dos Afros Descendentes mas ao ser questionado sobre seus cometarios, ele desmentiu ter feito a declarações homofobicas e racistas, pois este é o espirito brasileiro que ainda prevalece. acreditar nestas historias pode prejudicar a saude. desde a muito, os brancos vem defendendo o espirito de superioridade,se ver misturado com pessoas que eles classificam de inferior frusta seus planos, por isso é que eles vem investindo em sites sufisticados para criar debates polemicos cujo o objetivo é manter dos negros uma referencia do mal

eciclopedia disse...

é importante saber que nesta questão o por que os negros preferem as loiras e por que isto e a quilo.. alguns se passam por negros para expor esses assuntos de uma forma distorcida por exemplo é comum nestes sites um individou dizer sou negro e odeo negros e assim por diante, que fique claro que ha muita calunia que circula nestas informações. infelizmente ainda existe um espirito nazista que ainda apoia o apartheid social e que ninguem assume ser racista, um exemplo claro desse fato foi manifesto pelo presidente da comissão dos Direitos humanos.. o Marcos Feliciano que fez declarações Nazista a respeito dos Afros Descendentes mas ao ser questionado sobre seus cometarios, ele desmentiu ter feito a declarações homofobicas e racistas, pois este é o espirito brasileiro que ainda prevalece. acreditar nestas historias pode prejudicar a saude. desde a muito, os brancos (não generalizando) vem defendendo o espirito de superioridade,se ver misturado com pessoas que eles classificam de inferior frusta seus planos, por isso é que eles vem investindo em sites sufisticados para criar debates polemicos cujo o objetivo é fazer dos negros ou Afro descendentes uma referencia do mal.

Anônimo disse...

eu tenho o tom de pele da sheron menezzes e traços finos e não gosto de homens negros e mulatos para relacionamento não tenho tesão por eles o fato de eu ser mulata ( **** se quem não gosta desse termo vou continuar usando e acabou) não me obriga a gostar de homens negros e mulatos para namoro ate pq quem escolhe com quem vai namorar ou trepar sou eu e eu gosto mesmo e de brancos ,,hispanicos e medio orientais(de preferencia europeu) me considero mulata pq tenho 70% de genes europeu 16% de genes indigenas e 14% de genes africanos entao sou mulata ou ate mesmo parda e errado me definir como negra da mesma forma que e errado definir como branca uma pessoa de pele clarissima que tem tracos africanos(ou tem mais genes africanos) essa pessoa no maximo e um branco pardo o verdadeiro branco e o verdadeiro negro não tem mistura com outras etnias